6 frases que desnudam a cabeça marqueteira de Steve Jobs
steve_jobs_apple

Se estivesse vivo, Steve Jobs faria hoje 60 anos. Muitos torcem o nariz ao reconhecê-lo como um gênio da computação, geralmente remetendo todo o sucesso da Apple a Steve Wozniak, o craque da tecnologia que o ajudou a transformar uma garagem no Vale do Silício na poderosa Apple. Pode até ser. Não se pode desprezar, entretanto, a capacidade de Jobs em antever o futuro, detectar tendências e entender os anseios do consumidor, sem falar em sua incansável necessidade de inovar e buscar a perfeição.

Sua obra não se resume a criação de grandes produtos, mas se consagra na maneira como essas ferramentas revolucionaram comportamentos, mercados e modelos de negócios na música, na tecnologia, no design e até mesmo no mercado de comunicação.

Confira abaixo seis frases que trazem uma pequena amostra de como Steve Jobs pensava no marketing de sua empresa e seus produtos:

Observação e feeling

“Não se trata de cultura pop, não se trata de enganar as pessoas nem convencê-los de que querem algo que não precisam. Nós averiguamos o que queremos. Acredito que somos muito bons pensando no que as pessoas vão querer também. É para isso que nos pagam. Nós só queremos fazer grandes produtos.”

Expectativa dos clientes

“Nosso DNA é de uma empresa de consumo. Somos feitos para um cliente que sabe diferenciar o que é bom do que é ruim. Acho que nosso trabalho é ser responsável na totalidade pela experiência do usuário. Se não se cumpre a expectativa do cliente, é totalmente nossa culpa, simples.”

Além dos olhos

“A maioria das pessoas pensam que design é uma capa, uma simples decoração. Para mim, nada será mais importante no futuro que o design. O design é a alma de tudo aquilo que foi criado pelo homem. Design não é apenas o que parece e o que se sente. Design é como funciona.”

A importância das referências

“Criatividade é simplesmente conectar as coisas. Quando você pergunta a pessoas criativas como eles fizeram algo, eles se sentem culpados por não terem realmente feito aquilo, eles só viram algo. Depois de um tempo, aquilo pareceu óbvio.”

Quebrando o tabu

“É algo complicado, é difícil desenhar produtos concentrando-se no público-alvo. Muitas vezes, as pessoas não sabem o que querem até que você mostre a elas.”

Sobre qualidade do produto

“Um grande marceneiro não vai utilizar madeira vagabunda para o fundo de um armário, mesmo que ninguém veja.”

By Adnews