5 tendências em tecnologia para os próximos anos.
5-tendencias-tecnologicas-para-ficar-de-olho

Impressões tridimensionais e tecnologias vestíveis são algumas das novidades que devemos esperar para esta década

Estamos em 2014 e muitas das tecnologias que temos atualmente em nossas casas eram inimagináveis cerca de 10 anos atrás. Ou vai dizer que em 2004 já era possível saber que nossos smartphones seriam tão poderosos quanto computadores? Você imaginava que poderia carregar 32 GB de informações em um pequeno chaveiro em vez de precisar queimar CDs para guardar 700 MB de dados?
Pois tudo isso é muito comum atualmente. Hoje, nem imaginar computadores sendo acoplados aos óculos é estranho para nós. As tecnologias vestíveis estão cada dia mais presentes e logo estarão mais acessíveis. Conectividade entre diferentes aparelhos eletrodomésticos e smartphones não é mais algo de outro mundo. Você já deve ter entendido: as tendências para os próximos anos são muito animadoras.
Você gostaria de saber um pouco mais sobre o que estamos esperando para esta década, que ainda nem chegou na metade? Pois fique atento e saiba quais são as principais tecnologias que devem começar a ocupar as prateleiras das grandes lojas em breve — isso sem falar nas que já estão disponíveis no mercado. Será que suas tecnologias favoritas estão aqui?

1. Impressão 3D
Equipamentos de impressão 3D já foram completamente inacessíveis para o consumidor de poder aquisitivo regular — leia: as pessoas que não são super-ricas. Mas isso está mudando e atualmente já é possível adquirir modelos caseiros que custam bem menos do que R$ 10 mil. Para os próximos anos, a tendência é que esses valores sejam reduzidos, até que o custo das máquinas e dos refis permita o acesso à tecnologia com mais facilidade.
Até o final da década, são grandes as chances de que vejamos impressoras 3D disputando espaço nas prateleiras com modelos normais que imprimem em papel. E isso pode permitir uma série de possibilidades para os consumidores, sendo que algumas nós nem conseguimos imaginar como viáveis atualmente. Isso pode ir desde peças para brinquedos até complexos sistemas de próteses, por exemplo.
Praticamente qualquer modelo tridimensional pode ser construído com os projetos corretos. Em resumo: basta saber realizar uma modelagem 3D e qualquer objeto pode ser construído com impressoras 3D. Atualmente isso é restrito aos materiais plásticos, mas é bem possível que novos refis sejam adicionados aos portfólios das fabricantes nos próximos anos.

2. Computação vestível
Como dissemos na introdução deste texto, não é mais tão difícil imaginar a presença de recursos computacionais em óculos. O Google Glass está aí para nos provar que querer isso não é sonhar alto demais e também existem vários outros modelos já no mercado, como o Moverio BT-200 da Epson ou o italiano Glass Up, que deve chegar às lojas ainda no primeiro semestre de 2014.
Indo além dos óculos, também temos a chegada do Android Wear para provar que muitas empresas estão investindo nos gadgets vestíveis. Os relógios inteligentes começam a se tornar ainda mais disponíveis e, além dos aparelhos com Android (no formato similar ao presente nos smartphones), já existem modelos da Samsung com o sistema Tizen e novos gadgets com o supracitado Android Wear.

Saúde e exercícios
Os relógios inteligentes trazem também a possibilidade de monitoramento das funções vitais para os consumidores. Isso pode ser um excelente aliado na prevenção de males da saúde como também permite o acompanhamento completo para quem faz exercícios regularmente. Medidores de batimentos cardíacos e de distâncias devem ser apenas o começo. Será que no futuro teremos termômetros e medidores de glicemia integrados?

3. Tecnologia automotiva
Você já deve ter visto que existe uma preocupação das montadoras de carros em busca de melhorias para o aproveitamento dos combustíveis. Isso inclui a utilização de motores híbridos e também a instalação de motores puramente elétricos. É claro que ainda existe uma grande quantidade de desafios para que isso possa ser levado às ruas, mas os progressos vêm sendo feitos por diversas montadoras — Ford e Tesla Motors, por exemplo.
Indo além da tração, também precisamos citar as tecnologias de interação que devem ser instaladas. O iOS já possui recursos que se conectam a alguns carros para permitir o controle de sistemas de áudio, navegação e outros apps por voz, sendo que esse deve ser apenas o primeiro passo para algo muito maior que está por vir.
Em alguns anos, computadores de bordo devem ser completamente substituídos por novos sistemas controlados por voz. Não podemos deixar de lado os demonstradores HUD para navegação por GPS, sensores e câmeras para facilitar a vida dos motoristas e até mesmo direção assistiva — como já mostramos em um artigo totalmente destinado aos carros de 2020.

4. Automação residencial
Pode admitir: nós sabemos que você não vai conseguir se lembrar de desligar o forno na hora certa. É por isso que você vai adorar saber que no futuro os Smartphone terão conexão direta com o seu fogão, emitindo alertas sempre que for necessário realizar alguma tarefa — o que vai desde virar os cookies para que eles não queimem até mudar a temperatura do forno sem precisar chegar perto dele.
O mesmo pode valer para máquinas de lavar e secar roupa, por exemplo. Com tudo sendo controlado por smartphones, fica mais fácil ordenar que o equipamento mude de velocidade na lavagem ou avise quando as roupas estiverem secas. Em resumo: a tendência é mesmo de que os eletrodomésticos sejam controlados por smartphones — em todos os cômodos da sua casa.

5. Controle por gestos
Atualmente há televisores que podem ser controlados por gestos e também smartphones que permitem esse tipo de operação — e até computadores. Os video games estão cada dia mais voltados aos comandos com a utilização do próprio corpo como controlador e essa tendência deve se espalhar para todos os outros ramos da tecnologia. Sensores de gestos estão sendo aprimorados e no futuro devem ser mais precisos do que os atuais.
Em alguns anos, você poderá controlar o som do seu carro por gestos. O navegador de GPS (que deve ser integrado ao para-brisas) também deve ganhar esse tipo de recurso. Ou seja: os sensores de movimentos vão permitir cada dia mais interações para nossos aparelhos eletrônicos. Será que você está preparado para controlar seus equipamentos dessa forma?

Você já consegue imaginar essas tendências fazendo parte da sua vida? Pois aos poucos elas devem ser integradas ao nosso cotidiano e em menos de dez anos todas já devem ser mais do que comuns para todas as pessoas. Qual a sua favorita?

Fonte: www.tecmundo.com.br