Quem inventou a internet?
Quem inventou a internet?

Os cientistas norte-americanos Vint Cerf (redução de Vinton Gray Cerf) e Robert Kahn criaram, no início de 1970, o protocolo chamado TCP/IP, espécie de linguagem utilizada para que dois computadores consigam se comunicar e base da internet atual. Mas os esboços da grande rede virtual que conhecemos nos dias de hoje começaram no século passado. Desde a década de 1930, pesquisadores comportamentais e científicos idealizaram algo parecido com a internet. Nessa época, o belga Paul Otlet (considerado um dos pais da ciência da informação) traçou os planos iniciais para uma rede mundial de computadores.

Em termos de tecnologia, o marco sobre o tema foi o projeto da Agência Darpa, dos Estados Unidos, que desejava criar uma ‘teia’ com alta capacidade de caminhos para que as informações pudessem ser transmitidas. A data específica é um tanto confusa e vários historiadores informam diferentes momentos, mas é preferível ficar com o ano de 1970, quando foi desenvolvida a base tecnológica que utilizamos atualmente quando desejamos acessar o universo on-line

A partir de então, mas precisamente em 1994, ocorre o que se chama de o grande boom da internet, tornando-a acessível em várias partes do mundo. Inicialmente, o serviço era presente em empresas e logo chegou aos usuários comuns.

Hoje em dia, esse tipo de rede chega à maioria das casas das pessoas por meio de cabos, sejam telefônicos ou da infraestrutura da TV a cabo. A navegação com celulares (3G e 4G) tem crescido bastante entre os usuários, muito com a ajuda da popularização dos smartphones. Outros modelos estão sendo lançados, como redes WiMAX (conexão wireless, ou seja, sem fio).

Desde o início da era digital, muitas evoluções aconteceram. Ao invés de mandar cartas, por exemplo, conseguimos nos corresponder por e-mail, espécie de correio virtual. A internet também é forte meio de pesquisa, com o Wikipedia (compartilhamento de conteúdo escrito por usuários), e tenta integrar as pessoas em redes sociais (casos de Facebook, Twitter e Instagram).

Fonte: www.dgabc.com.br